14 de jan de 2010

Resquícios de mim.



















Na primavera sou a sua flor
No inverno, seu calor
No verão, seu sol
No outono, seu rouxinol.


Entrará e sairá estação
Eu continuarei em seu coração
Como o perfume da flor no jardim
E como o resto de neve na porta cor de marfim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu digo o que condiz, eu gosto é do estrago.