16 de dez de 2014

Amor simples

Eu não sei você
Mas eu quero viver
Um amor que me faça esquecer
O meu nome, minha idade
E só lembre da felicidade
Que é ter você pra mim.

Um erro e nada mais

Te vi, mas não te senti
Não me viu, mas já me sentiu
Não te vi e não te senti
Não nos vimos e o fim pressenti
Esse encontro foi um erro e nada mais
O pior é a esperança que sinto em te ver de novo
E dessa vez algo sentir
E dessa vez acertamos juntos
E mais uma vez sentirmos o mundo.

Volta.

Genteeee, este (mau) hábito de ficar quase 2 anos sem postar nada aqui está se tornando rotineiro! Não pode!!! Óbvio que parar de escrever nunca paro porque sempre estou escrevendo alguma coisa, nem que seja no bloco de notas do celular hehehe. Mas ficar sem escrever aqui me traz um certo vazio e quando percebo vejo que fiquei muito tempo sem colocar nada aqui... Nem que seja uma frase. Enfim... vou tentar postar com mais frequência aqui ou pelo menos passar pra cá os meus escritos feitos no celular (por que não fiz isso antes, né? Acho que foi a loucura do dia-a-dia).
Ano que vem me formo em Direito, a ciência que sou mais do que apaixonada e se Deus quiser, depois de advogar por um tempo, vou passar no meu sonhado concurso para a promotoria. Esses são meus planos profissionais. Os meus planos pessoais são uma incógnita, pois sempre me auto boicoto no quesito amor. Mas, às vezes as pessoas também agem de uma forma estranha e inexplicável comigo... vai entender.
O que eu estou aprendendo aos poucos (e na "marra") é que não dá para se pedir amor. Amor tem que ser algo natural, dado sem pressão ou cobranças. Se a gente se questiona: "por que fulano (a) não me ama?" é porque algo está errado. Não devemos buscar explicações, somente aceitar e seguir em frente. Se for pra ser, vai ser. Ou não. Mas não devemos nos descabelar por isso. Eu confesso que já me descabelei muito, porém agora só faço chorar (bem baixinho) ao som de Norah Jones hahaha. Desculpa aos que defendem a teoria de que o amor precisa ser sofrido pra ser amor. Discordo totalmente. O amor pode até ser sofrido, pode até ocorrer dramas mexicanos por consequências alheias a nossa vontade, mas não necessariamente precisa ser assim para ser amor. Um amor tranquilo (óbvio, com brigas e desentendimentos normais e naturais) também é amor. É MUITO AMOR!!! Cansa chorar demais, sofrer demais, se questionar demais. É preciso que se tenha um equilíbrio, que o amor traga uma paz para as nossas vidas. O amor é o nosso mais puro e lindo recanto. Alguém quer um recanto triste? Sombrio? Desesperançoso? Eu não quero e não terei, pois agora só me jogo naquilo que sei que pode me fazer bem. Eu já me questionei muito o porquê de alguém não gostar de mim, de ter me ignorado, de ter sumido e tal. É normal, todo mundo faz isso (principalmente as mulheres). Mas uma hora cansa, né? E aí percebemos que ficar ali, parada, chorando com uma xícara de chá na mão e ouvindo Coldplay não é a melhor coisa do mundo e é até ridículo (mas ridículos ou fomos ou seremos sempre quando o assunto é amor).
Então, vamos amar um amor mais calmo, um amor mais doce... mas sempre um amor que tire nosso fôlego e nos desprenda do chão, por favor!!! :)

20 de jan de 2013

Na bubuia...

Meu Deus, quanto tempo que não escrevo aqui! Praticamente 2 anos! (nooossa, muito tempo!). Eu não sei se isso foi bom ou ruim... aliás, foi bom e ruim ao mesmo tempo. Ruim porque ficar sem escrever aqui deixou um grande vazio, mas foi bom porque agora vou poder extravasar tudo o que vivi e senti nesses 2 anos agora em diante (prometo escrever aqui mais assiduamente). 2013 pra mim começou muito difícil e tumultuado, mas agora tudo está se assentando e a paz está reinando novamente. Antes de tudo, queria agradecer à Deus e à vida, que são táo sábios e perfeitos, pelo ensinamento que me proporcionou nesses momentos difíceis. Porque nada na vida é por acaso: pessoas e acontecimentos chegam até nós por algum motivo muito maior que nós mesmos. Se vivéssemos uma vida até 200 anos não conseguiríamos entender porque este entendimento conquistaremos na eternidade.
Eu percebo que a vida me ensina muito e que nestes últimos tempos eu aprendi muito com as pequenas coisas. Eu estou aprendendo que a vida é repleta de desencontros que não podemos prever ou controlar. Existem pessoas difíceis de conviver, mas devemos ter paciência com elas (uma coisa que eu não tenho muito haha). Estou aprendendo que o amor é simples, mas a gente complica (mas no fundo ele é complicado sim! hahaha). Ainda não aprendi a conviver e aceitar algumas pessoas e a forma como elas exergam a vida e o mundo, mas isso é aos poucos. Me irrito muito fácil com essas pessoas, mas sei que o auto-controle é tudo (só falta colocar em prática).
Enfim, o ano está apenas començando e espero que coisas boas aconteçam pra mim. Não vou fazer pressão, terei paciência e deixarem as coisas fluirem naturalmente sem cobranças e pressa. Porque não vale a pena o estresse mental de querer que aconteça tudo. Muitas coisas não irão acontecer e eu terei que aceitar isso, como também muitas irão acontecer e eu terei que aceitar também. Muitas irão me fazer chorar, outras sorrir e assim a vida segue seu rumo.

ACIMA DE TUDO EU QUERO VIVER CADA SEGUNDO BEEEEEM PAUSADAMENTE! :)


25 de jan de 2011

25 de janeiro, Rio.

Nasceu na Tijuca mas morou mesmo no amor. Não conviveu com o pai e isso lhe trouxe uma certa melancolia que transferiu para suas músicas. Falou de amores acabados, inacabados e nunca realizados. Hoje ele faria 84 anos de vida porque de música não dá pra mensurar. A música dele é eterna, compõe vidas e almas, é essencial. Pensou em ser arquiteto mas construiu lindos arranjos e maravilhosas melodias e letras. Foi o tom de outro grande poeta e compositor, Vinicius de Moraes. Os dois juntos foram a alma da bossa nova, mas nunca esquecendo que outros nomes como João Gilberto, Nara Leão, Elis Regina, Chico Buarque, Toquinho, Edu Lobo, et cetera complementaram a obra-prima deste que é um grande ídolo meu e acho que de muitos brasileiros: Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim. Brasileiro que misturou jazz ao samba e mesmo assim cantou o Rio de Janeiro, a mais bela cidade do nosso país e do mundo. Sofisticou sua música para simplificar a vida.

       De todos os tons ele foi a cor do amor. Tom Jobim, o eterno apaixonado.

9 de jan de 2011

No breve espaço que é a vida.

Eu ainda estou procurando a ilha. Eu sei que o caminho é longo e árduo e sei também que posso nunca encontra-la ou pelo menos morrer achando que não a encontrei quando na verdade ela estava ali, tão dentro e tão fora de mim.
Se isso acontecer quero eu poder voltar para procura-la de novo, quantas vezes forem necessárias. Se eu a encontrar e saber que encontrei quero voltar para poder ter todas essas dúvidas de novo. Há quem diga que não voltamos, mas eu digo que na verdade nunca iremos. Acreditar ou não nisso também é a ilha de cada um, pois a nossa identidade é o nosso refúgio na eternidade do tempo.

31 de dez de 2010

Tudo novo de novo.


Quem me acode à cabeça e ao coração
Neste fim de ano, entre alegria e dor?
Que sonho, que mistério, que oração?
Amor.    
                                        

{Carlos Drummond de Andrade}                                     


O ano acabou mas eu não acabei/quem sabe na contagem regressiva/eu exploda também.
{Bosta Nova - Lulina}


"Cada ano conhecemos pessoas novas, lugares novos ou sentimentos novos. A vida é isso: viver cada ano como um presente que não sabemos quanto tempo teremos em nossas mãos, mas que todos os dias abrimos com o frescor de uma descoberta." {Lívia Maria Lima}